Fundação Verde Herbert Daniel

Global Greens

Histórico

Desde os anos 80, partidos verdes e movimentos sócio-ambientais dos mais diferentes países têm-se reunido, de tempos em tempos, com a finalidade de estabelecer estratégias comuns frente aos problemas que a humanidade enfrenta.

Foi assim, por exemplo, durante a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, que ficou conhecida com ECO-92, quando Verdes do mundo todo se juntaram no Rio de Janeiro, para definir ações conjuntas.

Em 2001, foi realizado o 1º Congresso Global Greens, em Canberra, na Austrália, onde os Verdes de todo o planeta decidiram criar uma rede que se responsabilizasse, dentre outras funções, por organizar esses encontros periódicos.

Nesse mesmo encontro na Austrália, foi elaborada e aprovada a Carta Verde da Terra, que define princípios e ações políticas que apontam diretrizes para os Verdes no novo milênio. Ainda em Canberra, decidiu-se que o evento seguinte seria realizado no continente africano.

Em 2006, em Nairobi, no Quênia, foi realizada uma etapa preliminar do 2º Global Greens, aproveitando-se a realização do Fórum Social Mundial e reunindo os "Jovens Verdes Globais" (Global Young Greens). Decidiu-se que o segundo congresso deveria ter o Brasil como sede.

Dessa forma, realizou-se o 2° Global Greens nos dias 1 a 4 de Maio de 2008, no Memorial da América Latina, em São Paulo. Mais de 1000 pessoas de 80 países participaram do encontro que teve como tema principal as mudanças climáticas e os desafios ambientais.

O 2° Global Greens foi dedicado a Ingrid Betancour, ex-candidata a presidência e líder do Partido Verde da Colômbia (Partido Verde Oxigeno), que ficou seqüestrada pelas FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) por mais de 6 anos e foi libertada em 2 de Julho de 2008.


O Partido Verde

Europeu lançou a proposta de sediar o próximo Global Greens a ser realizado em 2013, mas a questão ainda está em debate.

A rede Global Greens tem como objetivos:

  • Promover a Carta Verde da Terra entre os Partidos Verdes e movimentos sócios ambientais do planeta;
  • Estimular e facilitar a implementação dos princípios contidos na Carta Verde da Terra que tenham conseqüências globais;
  • Aprofundar a comunicação entre partidos verdes e suas federações além de movimentos sócios ambientais ao redor do planeta.

A rede Global Greens é formada pela união de 4 federações continentais de partidos verdes e movimentos socioambientais a eles ligados: a Federação de Partidos Verdes da África, a Federação dos Partidos Verdes das Américas, a Rede Verde Ásia/Pacífico e a Federação Européia de Partidos Verdes.

Há, ainda, um quinto grupo de instituições, chamado de “Observadores”, que não são membros efetivos das federações, mas que são permanentemente convidados a acompanhar suas atividades.

Veja abaixo, quem são os membros de cada federação:

Federação de Partidos Verdes da África:
Federação dos Partidos Verdes das Américas
:
Rede Verde da Ásia-Pacífico:

Federação Européia de Partidos Verdes
:
Observadores:

COLABORADORES

Green Forum Foundation

O Green Forum iniciou suas atividades em 1995 e se tornou uma fundação em 1999, a qual trabalha com meio ambiente e democracia lado a lado. É uma organização sueca ligada a um partido político (PAO), voltada para a construção da democracia e para o aprimoramento de capacidades de partidos-irmãos na Europa Oriental, Balcâs Ocidentais e países em desenvolvimento. O trabalho da Green Forum Foundation é baseado na ideologia do Partido Verde sueco. A Green Forum Foundation requisita fundos governamentais, de acordo com a decisão de 27 de Julho de 2006, de número UD/2006/35490/UP.

Instituto Herbert Daniel (IHD)

O Instituto Herbert Daniel tem por finalidade a formação política do Partido Verde.
Herbert Daniel, enquanto era apenas um jovem estudante de medicina, teve que permanecer clandestino em seu próprio país durante 6 anos ao desafiar a ditadura militar. Foi guerrilheiro revolucionário, foragido, exilado. Jornalista, escritor, candidato a deputado estadual, homossexual, sociólogo, humanista e portador do vírus da AIDS que com sua doença imaginou a solidariedade como caminho da cidadania. Herbert Daniel ficou conhecido como “o guerreiro da solidariedade”.

Federação dos Partidos Verdes das Américas (FPVA)

É um organismo internacional que agrupa as organizações políticas Verdes Ecologistas do Continente Americano. Foi oficialmente constituída em 2 de dezembro de 1997, na Cidade do México, e ratificada em Ilhabela (Brasil), em março de 1998. Conta com a participação do Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México, Nicarágua, Peru, assim como Venezuela, Argentina e República Dominicana.
A FPVA defende a formação de Partidos Verdes Ecologistas em todos os países do Continente Americano como um caminho para, através dos governos, participar da solução dos problemas ambientais. Os membros da Federação trabalham unidos para potencializar os esforços destinados a promover o desenvolvimento de uma Humanidade que seja capaz de viver em harmonia com a natureza, baseando-se nos princípios do Amor, Justiça e Liberdade.

Para saber mais, acesse http://fpva.org.mx/ (em Português, Inglês, Espanhol e Francês).

Fundação Heinrich Böll

É uma organização política, sem fins lucrativos, que se entende como parte da corrente política verde, representada na Alemanha pela coalizão partidária Aliança 90/Os Verdes. Seus principais valores são os da ecologia e sustentabilidade, democracia, direitos humanos, autodeterminação e justiça. Dentro e fora da Alemanha, busca parcerias estratégicas com aqueles que compartilham os valores da entidade e age de forma independente, inclusive com relação ao próprio partido. Sua sede fica em Berlim, mas atua como ator internacional no debate de idéias e na prática de atividades.
Mundialmente engajada na política ecológica e no desenvolvimento sustentável, uma vez que, para seus integrantes, ecologia e democracia são inseparáveis, a Fundação leva o nome do escritor vencedor do Prêmio Nobel, Heinrich Böll, que simboliza posturas com as quais seus membros se identificam: defesa da liberdade, coragem cívica e tolerância.
Seu site é www.boell.org.br (em Português, Inglês e Espanhol).

Partido Verde do Brasil (PV)

Fundado em 17 de janeiro de 1986, o PV é uma organização política com personalidade jurídica de direito privado, com registro definitivo deferido pelo Tribunal Superior Eleitoral, que tem como objetivo alcançar o poder político institucional, de forma pacífica e democrática, em suas diversas instâncias, para aplicar e propagar o seu Programa.
Para conhecer melhor o Partido Verde, acesse www.pv.org.br (em Português apenas).


Partidos Verdes pelo Mundo

Acompanhe o trabalho dos partidos verdes pelo mundo:


Global Young Greens

Em 2001, foi realizado o 1º Congresso Global Greens, em Canberra, na Austrália, onde os Verdes de todo o planeta decidiram criar uma rede que se responsabilizasse, dentre outras funções, por organizar esses encontros periódicos.

Nesse mesmo encontro na Austrália, foi elaborada e aprovada a Carta Verde da Terra, que define princípios e ações políticas que apontam diretrizes para os Verdes no novo milênio. Ainda em Canberra, decidiu-se que o evento seguinte seria realizado no continente africano.

Em 2006, em Nairobi, no Quênia, foi realizada uma etapa preliminar do 2º Global Greens, aproveitando-se a realização do Fórum Social Mundial e reunindo os "Jovens Verdes Globais" (Global Young Greens).

O Global Young Greens é uma rede mundial de jovens ativistas interessados em sustentabilidade ambiental, justiça social, democracia e paz para todos.

O 2° Congresso do Global Young Greens ocorreu paralelamente ao Global Greens. O tema principal do encontro foi “Jovens Verdes no Exercício do Poder”.

Discutiram-se também os "21 pontos para o século 21", onde os jovens alinharam o discurso para o próximo Congresso Global Greens buscando assim ter mais voz ativa.

A organização tem como objetivos:

• aprofundar a comunicação de jovens que se identificam com a causa ambiental de todas as partes do mundo

• intensificar a relação das federações dos jovens verdes ao redor do mundo

• propiciar a troca de informações políticas e experiências pessoais aumentando o nível de engajamento pessoal de seus participantes nesta “network”, fundamental para seu o desenvolvimento e continuidade do trabalho começado em Camberra;

• Motivar os jovens participantes do evento a disseminarem o conteúdo programático da carta de Camberra e permitir a apresentação do conteúdo de principais causas sobre as quais os partidos verdes do mundo se mobilizam nos dias atuais;

Para mais informações sobre a rede Global dos Jovens Verdes acesse: http://www.globalyounggreens.org


Site Oficial:

O Global Greens é uma rede internacional de partidos verdes e movimentos políticos.

Para obter mais informações sobre a rede mundial dos partidos verdes, o Global Greens, acesse o site: http://www.globalgreens.org


Global Greens Brasil 2008

Partidos Verdes de todo o mundo estiveram reunidos nos dias 1 a 4 de Maio de 2008, no Memorial da América Latina, em São Paulo, Brasil. O 2° Global Greens contou com mais de 1000 delegados de 80 países, incluindo consideráveis delegações da África e da região Ásia-Pacífico, bem como da Europa e Américas, participaram neste encontro emocionante onde os Verdes puderam discutir questões políticas voltadas para a sustentabilidade e dos desafios do aquecimento global. A cerimônia de abertura, transmitida ao vivo pela internet, contou com a presença do prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab, além de lideranças verdes nacionais e mundiais. Representantes de todos os Partidos Verdes subiram ao palco para passar uma mensagem acolhedora trazida de seus países, lembrando o desfile das Nações nas Olimpíadas. Por fim, o grupo infantil de capoeira Mizinga, fez uma apresentação de expressão cultural que misturou luta,dança cultura popular e música brasileira. No decorrer dos quatro dias de congresso, o principal objetivo foi discutir um plano de ação no combate da crise climática para a próxima década, no qual Partidos Verdes e movimentos sócio-ambientais em todo o mundo pudessem trabalhar cooperativamente, mostrando o caminho a ser seguido aos governos e suas comunidades. Este plano de ação Verde está traçado nas resoluções e declarações aprovadas no voto pelas delegações. Um dos mais importantes textos aprovado é intitulado de "21 pontos para o século 21." Este documento define ações “Verdes” para todas as partes do mundo, onde políticas públicas podem ser pensadas a partir da proteção ambiental, para a promoção da justiça social e do diálogo intercultural.

Conheça o plano de ação dos Verdes Globais

© 2017   Criado por Administrador FVHD.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço